jusbrasil.com.br
30 de Maio de 2017
    Adicione tópicos

    Que bala é essa?

    Vida Mental
    Publicado por Vida Mental
    há 5 anos

    Nas ultimas décadas o consumo de balas aumentou consideravelmente pelo público jovem e, com isso o índice de mortalidade também. Mas afinal, que droga tão perigosa é essa?

    A gíria bala se refere a qualquer uma dessas drogas: Ecstasy, MDMA, pílula do amor, Helena, cristal, ice, entre outras. Estas são drogas produzidas em laboratórios clandestinos e possuem como base a anfetamina.

    A anfetamina foi originalmente desenvolvida para inibição do apetite e manter o indivíduo acordado, em alerta.Os efeitos produzidos pela bala são de intensa euforia, aumento da auto estima, empatia, sensação de bem estar e de muita energia, intensificação da percepção de sons e cores (como se as cores tivessem sons e sons tivessem cores), além da hipersensibilidade ao toque, dando a sensação de que essas drogas são afrodisíacas.

    Por esse motivo são drogas muito conhecidas e utilizadas em festas raves, em que o som das batidas repetidas e estridentes das músicas estimula os efeitos da mudança da percepção dos sons e cores. Além disso, o contato com outras pessoas é hiper estimulado, gerando sensação de prazer sexual.

    Num primeiro momento parecem ser inofensivas e longe de causar dependência. Mas isso não é verdade. Muitas pesquisas apontam que essas drogas são muito perigosas, por expor o indivíduo a um risco de morte imediato e causar tolerância, importante característica no desenvolvimento da dependência.

    O risco de morte imediata se dá uma vez que a anfetamina provoca a elevação da pressão arterial e aumento da temperatura do corpo, podendo causar uma série de complicações clínicas como taquicardia, desidratação e insuficiência renal, assim como início de processo de falência múltipla dos órgãos, levando o indivíduo a óbito.

    Já a dependência é causada pela necessidade de aumento do uso, pois a quantidade utilizada não atinge os efeitos como antes. O indivíduo passa então, a utilizar duas ou mais doses por noite, podendo estender o uso para durante a semana. Os efeitos indesejáveis após o uso como depressão, ansiedade, agitação, insônia podem também reforçar a necessidade de utilizar novamente a droga.

    É muito comum indivíduos que fazem uso dessas drogas apresentarem sintomas como agressividade, alucinações e delírios, podendo desenvolver comportamentos suicida e homicida. Por essas razões, acabam tendo sérios problemas com a justiça, necessitando de intervenção por parte de profissional especializado como Psiquiatra Forense ou Psicólogo Jurídico, os quais poderão avaliar a sanidade mental e analisar a capacidade de entendimento e determinação do indivíduo num processo.O tratamento para a dependência dessas substâncias existe e tanto o indivíduo quanto a família devem procurar ajuda!

    Lembre-se,ecstasy, MDMA, E., pílula do amor, ou seja, as chamadas balas são drogas de alto risco e o indivíduo que faz uso deve receber orientação, mesmo não apresentando desejo de interromper o uso!

    Se você quer saber mais sobre essas substâncias, no site Vida Mental você encontrará cursos que esclarecem essa e outras dúvidas sobre a dependência química. Clique no link abaixo e confira!

    Hewdy Lobo Ribeiro
    CREMESP 114681
    Médico Psiquiatra Forense pela ABP
    Psiquiatra ProMulher IPQ-HC-FMUSP
    lobo@vidamental.com.br
    0XX 11 4114 0019
    0XX 11 2371 7053
    Aline C. Baptistão
    Psicóloga Pós Graduanda em Dependência Química
    CRP: 94648/06alibapt@hotmail.com

    Disponível em: http://vida-mental.jusbrasil.com.br/noticias/3061419/que-bala-e-essa

    1 Comentário

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

    “Todas as drogas são uma perda de tempo. Elas destroem sua memória, seu respeito e tudo que tem a ver com a sua autoestima. Elas não são boas de forma nenhuma.” (Kurt Cobain) continuar lendo